Diário
Deixe um Comentário

Nem para plantar batatas, quanto mais filhos!

Lá estou eu aqui para “rasgar”, realmente eu devo ser muito má como alguns dizem, tem que se ser muito má pessoa para se ficar muito chateado com as injustiças que acontecem ás pessoas de quem gostamos, há a infeliz ideia de que as pessoas boazinhas não se chateiam, aceitam tudo, isso é só ser cínico, mais nada.

Há pessoas que eu nem para plantar batatas mandava pois até a fazer isso podiam-se enterrar na m*rda, quanto mais para se porem com ideias de ter filhos só porque “toda a gente tem”, porra fico mesmo chateada com isto, é preciso ter responsabilidade e condições para ter filhos, porque se não vais a um dentista é desleixo, ninguém tem nada a ver com isso, se não trabalhas e és um vagabundozito tudo bem, ninguém tem nada a ver com isso, se andas em más companhias e tens uma família problemática a responsabilidade é tua de saíres da situação, mas agora, se colocas uma criança no meio da tua vida e não tens QI suficiente nem para compreender uma tabuada, porra, isso é uma burrice do caraças e os teus futuros filhos não têm culpa nenhuma disso.

É como eu costumo dizer, qualquer energúmeno pode colocar um espermatozoidezinho a funcionar, basta assistir uma pornografiazeca e pensar na atriz enquanto na realidade é com a Maria que o tipo está, um energúmeno não precisa de ter um grande nível cerebral para engravidar a Maria, nem a Maria precisa de ser um génio da lâmpada para ter um óvulo fecundado, mas porra, algum juízo se faz favor!

“Ah mais uma boca menos uma boca, é igual”

Isso e mais o MacDonalds, vão preocupar-se em enterrar os filhos em fast-food desde cedo, a saúde e a educação alimentar vem depois, isso que se lixe, mas não é só comer, é preciso pagar a escola, o médico, a creche, o dentista, o pediatra, as roupas, cuidar dos cabelos, pagar visitas de estudo e há sempre imprevistos, fraldas, doenças súbitas, os miúdos magoam-se… “só mais uma boca?” porra eu devo ser muito burra, porque nunca vi um spot publicitário do continente dizer “venha comprar comida e garanta já um filho”, deve ser realmente o meu QI que é infinitamente pequeno para não só compreender mas ficar abismada com tanta ignorância junta.

Mas a Maria e o Zé são tão imaturos que lá vão ter a coitada da criança á mesma, nem para uma maternidade decente a Maria tem dinheiro e por isso vai gritar como uma desalmada no hospital, sem direito ao mínimo de conforto e depois vai ter uma depressão pós parto e nem vai saber que é uma depressão, vai achar que é falta de batatas fritas, novela das 17h ou qualquer outra coisa menos depressão pós parto, entretanto a criança desde cedo começa a pagar as contas dos pais tresloucados, pneumonias, gritos, alcoolismo, falta de roupas, de comida decente, bullying mais tarde e os pais: -“bulíng” ?? mas qué essa merda? Uns anos mais tarde a coitada da miúda não tem tempo para pagar a faculdade, a Maria está acamada e com mais 5 filhos porque era só mais uma boca e deu na confusão que deu, a Laura pagou as contas das trapalhadas dos pais e passou a adolescência onde era suposto ser adolescente a ser mãe, criança, estudante e trinta por uma linha, porque ainda por cima o irmão mais novo nasceu com um problema crónico e a Maria foi chorar para o programa da Júlia porque não tem dinheiro, que pena da Maria, não deve mesmo saber que existem preservativos para dar nos centros de saúde.

Porra, desculpem lá mas a burrice tem limites, obrigam-nos a enfiar uma zaragatoa no nariz mas não tornam a educação desta gente obrigatória? Há tantas crianças vítimas destas azeiteirices dos tugas acharem que todos podem ter filhos que dá-se um nó no meu estômago só de pensar no assunto. Ter filhos é para quem pode, para quem tem algum conforto financeiro e educação e responsabilidade social para transmitir ás crianças e para mim estas famílias de parentes tresloucadas deviam ser punidas como qualquer família que seja negligente com os filhos, porque esta forma de constituir uma família que está muito longe de ser uma família na maioria dos casos, é a maior das negligencias e das mais abundantes no nosso pais, basta olhar para os bairros pobres, eu cresce em um, onde há pessoas que se enterram ainda mais na pobreza e ainda levam pessoas que nem existiam e nem tinham culpa com elas para o enterro.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s