Diário, Saúde
Deixe um Comentário

Aqui estou eu “covidada”. Para os implicantes de plantão, o texto não está corrigido, ide passear, são 2h da manhã

Foda-se, desculpem-me a linguagem, perdi dois dias de trabalho e esta merda nem foram férias, penso. Sim, foi isso mesmo que ouviram, estou covidada, e tem sido uma comédia de todo o tamanho.

Primeiro aprendam comigo, se vivem com alguém que tem covid mais vale darem-se logo como positivas no primeiro dia de isolamento do vosso marido caso contrário pode ocorrer o infortúnio dos médicos depreenderem que só vos põe de baixa a meio do confinamento, conclusão? Andou por aqui a tótó a cumprir isolamento 4 dias para o teto, podia ter andado a espalhar covid já que o sns disse-me para ficar em isolamento mas a médica do público não soube fazer contas. Foda-se tenho a baixa nem me chateio mais, penso. Só para conseguir a baixa tive que ameaçar apresentar queixa contra o centro de saúde da minha zona, foi isso mesmo que ouviram, tive que recorrer á entidade reguladora de saúde para conseguir aceder a um médico, acho que a médica devia estar á espera que eu contasse para as estatísticas dos 1% que morrem para não se dar ao trabalho, mas se há coisa que eu não brinco é com dinheiro, faço parte do 1% da população que admite que adora dinheiro e portanto a minha baixa, que é minha por direito, tinha que aparecer em algum lado, entretanto o meu namorado está curado e ainda não tem a dele, já o avisei que também vai ter que reclamar porque aqui em Portugal só assim é que as coisas acontecem.

O teste foi outra cena digna de um episódio da “Teoria do Big Bang”, veio para cá uma senhora que parecia que ía para a lua, assustada ela com medo do covid, assustada eu pronta para que me declarassem positiva sem a merda da zaragatoa que me fodeu o nariz até hoje, lembrei-me lorgo da Marta Temido com aquela vozinha esganiçada a falar zaragatoa milhentas vezes e ainda revolveu mais o meu estômago, e sim fiquei com o nariz lixado desde então (estranho não é?), não quero construir teorias da conspiração mas os meus sintomas começaram aí e não deixo de pensar no quão conveniente é terem mais 1 pessoa a contribuir para as estatísticas. Dei positivo no dia a seguir, com o nariz a pingar e aquela sensação que ainda tinha a zaragatoa no nariz, lá pensei porra, não vou deixar de treinar e prometi que ía continuar a não ter medo porque o medo é o que eles querem, o medo é imunosupressor, sabiam? Não se deixem levar por ele, fala uma pessoa que foi enviada para casa á 16 anos atrás com uma pneumonia em estado avançado e que quase morreu porque o médico disse que a falta de ar era psicológica.

Já o Bruno andou mais nervoso, eu bem que tentei explicar-lhe que ter medo era pior, mas há coisas que só se aprendem com o tempo e ele um dia vai aprender essa lição. Hoje borrifei os pulsos com o Shalimar da Guerlain e não senti o cheiro, só me entrou pelas narinas fodidas pela zaragatoa e fiquei com a impressão de ter acabado de enfiar álcool pelas minhas vias respiratórias, mas cheiro? Nah, nem um tiquinho de nada, vai voltar um dia destes, não me stressou, o que eu quero é que os meus pulmões estejam saudáveis e limpinhos e por isso prometi que o ia atacar o virus de tal maneira que ele ía sair do meu corpo a correr e a ganir totalmente arrependido de ter vindo para aqui sem ser convidado, o Bruno riu-se, mas levei a promessa a sério.

O covid é tão mortífero que o SNS nem falou do meu histórico de pneumonia nem me adverteu sobre o que podia fazer para que isto não se complicasse, é mortífero mas lixam-se para nós? Estranho! Mas eu tenho amor próprio, o que significa que para além de ser saudável já nas minhas rotinas ainda aumentei de frequência a minha sauna facial e entupi-me de chá, se o virus ainda não está a ganir falta pouco para isso, estou de mangas arregaçadas meu filho da puta.

Entretanto, apaixonei-me pelo tal juiz negacionista, é raro ver alguém sem medo de Marselfies dizer a verdade sem se deixar corromper, a verdade ou o que pensa, o resto das pessoas acham que o Marselfies é amiguinho e vão ver o futebol, ganham um saláriozeco de merda, têm vidas miseráveis, o Costinha mete ao bolso, o Marselfies publica uma foto no instagram com o zézinho da aldeia e o povo cala e come, pão com manteiga, mas come. A ter em conta isto a taxa de analfabetismo em Portugal não deve ser muito baixa, já que há ainda tanta gente que gosta de comer gelados com a testa. O Marselfies pode continuar a ser influencer digital e o povinho pode continuar a trabalhar 40 horas semanais para pagar as contas e não muito mais, é útil porque assim não tem muito tempo para pensar no que é que o Marselfies anda aqui a fazer afinal.

Deixe uma Resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão /  Alterar )

Google photo

Está a comentar usando a sua conta Google Terminar Sessão /  Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão /  Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão /  Alterar )

Connecting to %s